Muçulmanos preparam-se para o hajj

Em meio à ameaça de uma possível guerra no Iraque, milhares de fiéis muçulmanos congregaram-se neste domingo em volta da sagrada Kaaba, no centro da Grande Mesquita de Meca, na Arábia Saudita. Cerca de 2 milhões de peregrinos de 170 países se dirigiram hoje para Mina e para o Monte Arafat, na segunda fase das cerimônias do Hajj, a peregrinação que integra uma das obrigações de todo fiel muçulmano saudável. A solenidade deste ano está marcada pela ameaça de guerra e dela participam cerca de 16 mil iraquianos. Rezar no Monte Arafat é o principal ritual na peregrinação de cinco dias. Acredita-se que o tempo que os muçulmanos passam rezando no local simbolize o Dia do Julgamento, quando, segundo o Islã, todas as pessoas irão ficar perante Deus para responder por seus atos.Maomé, o profeta do islamismo, fez seu último sermão no Monte Arafat em março de 632, três meses antes de sua morte. Os muçulmanos acreditam que, durante seu sermão, a última passagem do seu livro sagrado, o Corão, foi revelado a Maomé.Do Monte Arafat, os peregrinos seguem para a vizinha Muzdalifah, onde eles coletam pedras para jogar contra três pilares simbolizando as tentações do demônio. Então, os peregrinos na Arábia Saudita e muçulmanos de todo o mundo celebram o início do Eid al-Adha, ou banquete do sacrifício, matando um camelo, boi ou ovelha e dividindo a carne com os pobres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.