Muçulmanos radicais fazem protesto contra EUA

Mais de 3 mil pessoas - a maioria estudantes muçulmanos radicais - realizaram hoje uma manifestação contra os Estados Unidos e o governo do Paquistão, que se comprometeu a apoiar os norte-americanos no caso de um possível ataque ao Afeganistão. Cerca de 500 policiais armados e soldados paramilitares vigiaram a manifestação sem intervir. O protesto aconteceu próximo à mesquita Binori, onde funciona uma escola religiosa onde vários líderes do Taleban afegão se formaram.Carregando cartazes com frases contra os Estados Unidos e o presidente do Paquistão, general Pervez Musharraf, os manifestantes gritavam, em inglês: ?América, não persiga o que não pode matar? e ?O Paquistão será o túmulo do exército americano?. Alguns cartazes traziam fotos de Osama Bin Laden como um herói. Além disso, os manifestantes também diziam que outros ataques suicidas poderão acontecer se os Estados Unidos atacarem o Taleban ou prenderem Bin Laden. ?Até agora, apenas o World Trade Center foi destruído. Mas nós destruiremos toda a América. Morreremos pelo Taleban. Morreremos pelo Islã. Morreremos por Osama?, gritavam. Os Estados Unidos ameaçam atacar o Afeganistão para capturar ou matar Osama bin Laden, saudita que vive exilado no Afeganistão e que é o principal suspeito dos ataques terroristas de 11 de setembro em Nova York e Washington. O Taleban, milícia radical muçulmana que governa o Afeganistão, abrigou Bin Laden evitando sua extradição para os Estados Unidos no fim da década de 90. Bin Laden é suspeito também de envolvimento em dois ataques terroristas contra embaixadas norte-americanas na África em 1998.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.