Mudanças no governo de Bush não são "para valer", diz NYT

Em um editorial, o jornal New York Times critica as mudanças na equipe de Bush. Para o NYT, Bush quer mostrar ao país que está realmente mexendo nas pessoas que o cercam, mas está claro que quem errou vai continuar onde está. O editorial cita o que considera os três maiores erros do atual governo: a condução da guerra do Iraque, o tratamento de prisioneiros e a política fiscal. Segundo o jornal, não houve mudanças reais em nenhuma dessas áreas. No caso do orçamento, assumido pelo ex-representante do Comércio Robert Portman, trata-se de uma "velha cara" com "uma nova etiqueta". "O presidente é como essas pessoas que pretendem se desculpar dizendo que sente muito se foi mal compreendido. Ele não acredita que tenha feito nada de errado. É nossa culpa não apreciá-lo", conclui o editorial. Já o jornal Washington Post vê nas mudanças um reconhecimento das dificuldades em que Bush se encontra. O jornal destaca a decisão de tirar o chefe de gabinete Karl Rove do cargo para se concentrar na campanha republicana para as eleições parlamentares de novembro, que, segundo o Washington Post, preocupam cada vez mais o partido do presidente. "A volta de Rove a um papel que se assemelha ao que ele desempenhou no primeiro mandato de Bush demonstra quanto a Casa Branca se voltou para um modo de sobrevivência - e quão longe os eventos que afastaram o presidente das grandes ambições com as quais ele iniciou o segundo mandato há apenas 15 meses."

Agencia Estado,

20 Abril 2006 | 10h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.