Mugabe ataca pensamento 'tolo' de EUA e Grã-Bretanha

O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, disse hoje que os Estados Unidos e a Grã-Bretanha são "estúpidos" ao pensarem que ele não deve fazer parte de um governo de união nacional. No fim de semana, o principal diplomata norte-americano para a África disse que Washington não pode mais apoiar uma proposta de divisão de poder que mantenha Mugabe no cargo. O ministro britânico para a África apoiou a posição dos EUA ontem. "Esse pensamento estúpido e tolo ignora que apenas os zimbabuanos podem tomar tal decisão", argumentou Mugabe, durante o funeral de um general do Exército que lutou contra o domínio britânico no Zimbábue."Nós não vamos ouvir o que (o presidente dos EUA, George W.) Bush e (o primeiro-ministro britânico) Gordon Brown estão dizendo", garantiu Mugabe. "Nós percebemos que esses são os últimos coices de um cavalo moribundo", concluiu, em uma aparente referência a Bush, que deixa o cargo no dia 20 de janeiro. Mugabe, de 84 anos, governa o país desde a independência do domínio britânico, em 1980. Ele vem se recusando a deixar o poder desde as eleições no país, em março.O presidente enfrenta muitas críticas por causa da crise humanitária que levou milhões de pessoas à fome, pela epidemia de cólera que matou mais de mil zimbabuanos em agosto e por outros problemas. Comida, remédios, combustível e dinheiro são escassos no país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.