Mugabe deixa o poder se perder eleição no Zimbábue, diz jornal

Assessor diz que presidente está confiante de que vencerá 2.º turno, mas respeitará resultado se for derrotado

Associated Press,

26 de maio de 2008 | 14h59

O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, espera vencer o segundo turno das eleições presidenciais no mês de junho, mas não permanecerá no poder se perder o pleito, segundo afirmou a edição do jornal estatal The Herald nesta segunda-feira, 26.   Veja também: Inflação no Zimbábue supera 1.000.000% ao ano, diz analista Oposicionista no Zimbábue acusa plano para matá-lo Zimbábue anuncia segundo turno eleitoral para 27 de junho   "Nós estamos muito, muito confiantes de que venceremos essa eleição", disse Emmerson Mnangagwa, um dos altos conselheiros de Mugabe. Porém, "se o presidente perder, ele será o primeiro a falar na televisão nacional e reconhecer o resultado ao povo", "ele é um herói de muitos princípios", acrescentou Mnangagwa.   O rival de Mubage nas eleições, o candidato opositor Morgan Tsvangirai, reivindica a vitória no primeiro turno presidencial, realizado no dia 29 de março, e afirma que o pleito do dia 27 de junho é baseado em resultados fraudulentos e parte de um plano para manter Mugabe no poder.   Mugabe, de 84 anos, está no poder há 28. Ele era visto como um herói nacional ao ajudar o Zimbábue a conseguir sua independência do Reino Unido, em 1980. Foi também elogiado por levar educação e saúde para a maioria negra. Mas recentemente tem sido acusado de centralizar o poder demais e realizar eleições fraudulentas, além de cometer abusos e erros na condução da economia.   Órgãos independentes de direitos humanos e o candidato opositor afirmam que membros do partido de oposição têm sido agredidos e mortos pelo governo e simpatizantes de Mugabe, para garantir que o presidente vença o segundo turno.

Tudo o que sabemos sobre:
Robert MugabeZimbábue

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.