Muitos britânicos muçulmanos lutam ao lado do Taleban

Mais de mil britânicos muçulmanos se uniram às fileiras do regime do Taleban para lutarem contra a coalizão anglo-americana contra o terrorismo, afirmou hoje o jornal inglês The Sun. Desse grupo, escreveu o tablóide londrino, quatro britânicos morreram durante os bombardeios de ontem contra Cabul, a capital afegã, e foram considerados "mártires" pelo regime dos talebans. Segundo o diário, mais de mil cidadãos muçulmanos abandonaram a Grã-Bretanha nas últimas semanas "para morrer pela causa de Osama bin Laden". Muhamed Omar, Aftab Mansoor, Afzal Munirdied e Yasir Khan, todos eles britânicos muçulmanos, morreram no domingo em um bombardeio das forças anglo-americanas sobre o Afeganistão, depois de terem sido treinados pelo grupo fundamentalista Al Muhajiroun. Fontes paquistanesas na fronteira do Paquistão consultadas pelo The Sun disseram que 60% dos estrangeiros que lutam contra o regime taleban são britânicos. Essas mortes "não deterão muitos outros de seguirem este caminho. Pelo contrário, dará mais valor (à sua decisão)", disse Hassan Butt, um inglês de Manchester de origem muçulmana. Butt disse ter falado ontem com os familiares dos jovens mortos, que demonstraram ter ficado "felizes". "Eles ficaram orgulhosos de seus filhos", declarou Butt. Leia o especial

Agencia Estado,

29 Outubro 2001 | 13h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.