Mujica diz que continente americano é todo 'falido'

Mujica diz que continente americano é todo 'falido'

Em entrevista à rádio, presidente uruguaio fez crítica ao combate ao narcotráfico e produção de drogas na América Latina

RODRIGO CAVALHEIRO, ENVIADO ESPECIAL / MONTEVIDÉU, O Estado de S.Paulo

26 Novembro 2014 | 02h00

Na tentativa de restabelecer em definitivo a normalidade das relações com o México, país que chamou no sábado de "Estado falido", o presidente uruguaio José Mujica encontrou uma solução incomum ontem: colocou todas as nações do continente no mesmo patamar.

"No que se refere a reprimir e liquidar o narcotráfico, ou seja, o tráfico clandestino destinado à produção de drogas, todos os Estados da América parecemos francamente falidos", afirmou Mujica à Rádio Uruguay.

O atrito com os mexicanos, que chegaram a chamar o embaixador uruguaio para consultas em sinal de desaprovação, ganhou destaque na imprensa latino-americana, o que fez o presidente voltar ao tema mesmo depois de o México encerrar a questão na segunda-feira.

No Uruguai, o assunto foi tratado como mais uma gafe presidencial. O tema nem sequer foi explorado na disputa eleitoral que se encerra no domingo com a escolha de seu substituto. "Os uruguaios já estão acostumados ao estilo do Mujica, não dão importância a essas declarações. Aliás, o próprio Mujica não dá importância ao que fala sem pensar", disse ao Estado Adolfo Garcé, professor do Instituto de Ciências Políticas da Universidade da República.

O favorito para suceder a Mujica é seu antecessor, médico oncologista Tabaré Vázquez, da Frente Ampla, com 51% das intenções de voto. Seu rival, do Partido Nacional (ou Branco), Luis Lacalle Pou, tem 38%, segundo pesquisa divulgada pela consultoria Equipos Mori.

Mais conteúdo sobre:
MujicaUruguaidrogas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.