Matilde Campodonico/AP
Matilde Campodonico/AP

Mujica diz que Uruguai está aberto a receber detentos de Guantánamo

Embaixadora americana no país negou que o acordo tenha sido feito, dizendo apenas que 'eles estão conversando'

O Estado de S. Paulo,

20 de março de 2014 | 16h35

MONTEVIDÉU - O presidente do Uruguai, José "Pepe" Mujica, indicou nesta quinta-feira, 20, que está aberto a receber alguns suspeitos de terrorismo ainda presos em Guantánamo, mas a embaixadora americano no país alertou que nenhum acordo foi atingido.

 "Se os presos de Guantánamo quiserem fazer seus ninhos no Uruguai, podem fazê-lo", disse o presidente ao programa Subrayado, do canal 10, de sua fazenda na área rural do país. Mas disse que falou para os negociadores que "não seria seus carcereiros".

A revista semanal Búsqueda reportou mais cedo que Mujica concordara em aceitar cinco dos prisioneiros a pedido do presidente Barack Obama e que o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, havia ligado diretamente para Mujica para agradecê-lo.

 A revista disse que o acordo inclui um pedido para que os ex-detentos fiquem dentro das fronteiras do país por pelo menos dois anos.

 No entanto, a embaixadora americana, Julissa Reynoso, negou que o acordo tenha sido feito, dizendo apenas que "eles estão conversando". Ela negou especificamente que os governos tenham concordado que cinco prisioneiro iriam para o Uruguai.

 "Não está correto. Estamos em consultas e em conversações, mas não há acordo para um processo como esse no Uruguai", disse ela ao programa de rádio  El Espectador.

Os EUA realocaram 43 detentos de Guantánamo em 17 países desde que Obama tomou posse e mandou 38 outros de volta para suas terras natais. Na semana passada, o escritório do Departamento de Estado trabalhava para fechar a prisão, disse esperar um progresso significativo com os restantes 154.

Um comunicado da Embaixada dos EUA em Montevidéu disse que "estamos consultando com vários países da região sobre o fechamento do centro de detenção. Dado o papel de liderança que o presidente José Mujica mostra na região, temos consultado com seu governo"./ AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.