AP
AP

Mujica pede que Obama retire bloqueio a Cuba

Os pedidos foram feitos próximos à vinda de seis detentos liberados de Guantánamo ao Uruguai, presos de forma injusta por supostas ligações com o terrorismo islâmico

O Estado de S. Paulo

05 de dezembro de 2014 | 20h29

O presidente uruguaio, José Mujica, pediu aos EUA para retirarem o bloqueio a Cuba, em uma carta aberta ao presidente americano, Barack Obama, publicada nesta sexta-feira. O pedido foi feito diante da iminente chegada de seis presos de Guantánamo ao Uruguai.

"A ocasião é propícia para pedir novamente a retirada do injusto e injustificável embargo à nossa república irmã Cuba cujo herói nacional (o escritor e jornalista José Martí) foi cônsul do Paraguai, Argentina e Uruguai em Nova York", afirmou Mujica na carta.

O presidente também pediu a "libertação de Oscar López Rivera, lutador da independência de Porto Rico, de 70 anos, preso político nos EUA há mais de 30 anos, 12 dos quais ficou em uma cela isolada. E a libertação de Antonio Guerrero, Ramón Labañino e Gerardo Hernández, cubanos presos nos EUA há mais de 16 anos".

Os pedidos foram feitos próximos à vinda de seis detentos liberados de Guantánamo ao Uruguai, presos de forma injusta por supostas ligações com o terrorismo islâmico. Mujica não confirmou a data de chegada. A imprensa local afirma que os presos chegarão até o fim de dezembro.

Desde que Obama assumiu a presidência, os EUA libertaram 43 presos de Guantánamo enviados a 17 países que aceitaram recebê-los. Outros 38 voltaram às suas nações de origem e 154 permanecem na prisão localizadas na ilha de Cuba. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
UruguaiEUACuba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.