Iván Franco/Efe
Iván Franco/Efe

Mujica trata com discrição incidente dos comentários sobre os Kirchner

Presidente uruguaio se referiu à presidente Cristina como 'velha pior que o caolho (Néstor)'

estadão.com.br,

05 de abril de 2013 | 18h20

MONTEVIDÉU - Com todo o alvoroço político, social e midiático que o comentário "essa velha é pior que o caolho" causou, o presidente uruguaio, José Mujica, buscou tratar com discrição o impasse entre Uruguai e Argentina após o comentário sobre o casal Kirchner.

Em seu programa radiofônico semanal à emissora local M24 nesta sexta-feira, 5, o líder fez uma reflexão sobre as origens do Uruguai como nação e sua complexa vinculação com a Argentina para enviar uma mensagem de conciliação ao país vizinho: "Apesar da história ter nos separado, nada nem ninguém pode separar nossa história."

O Uruguai precisa "estar bem com a humanidade mas, em primeiro lugar, com os povos que nasceram na mesma matriz", acrescentou, ao lembrar diferentes passagens da Independência uruguaia. Mais cedo, a primeira-dama, a senadora Lucía Topolansky, havia declarado à rádio El Espectador que para eles o incidente está encerrado. "Para nós, o assunto acabou aqui."

Após o incidente, a chancelaria argentina, em comunicado, lamentou "profundamente" as expressões "inaceitáveis" e "denegridoras".

Além do casal presidencial uruguaio, apenas o presidente da companhia petrolífera estatal Ancap, Raúl Sendic, falou com a imprensa sobre o incidente. "A única coisa que isso acarreta é que vamos precisar fazer esforços maiores", disse Sendic, da Frente Ampla (governista) e filho do fundador da guerrilha tupamaro, na qual Mujica militou no passado.

A polêmica veio à tona na quinta-feira quando o jornal uruguaio El Observador divulgou em seu site um arquivo de voz gravado da transmissão que o site da presidência uruguaia havia feito de uma entrevista coletiva de Mujica no departamento da Florida (Uruguai).

Aparentemente sem perceber que os microfones estavam abertos, o líder comentou com o governador Carlos Enciso: "Essa velha é pior que o caolho. O caolho era mais político. Essa é teimosa."

Embora as relações com Cristina sejam cordiais, não é a primeira vez que Mujica se refere ao casal Kirchner de forma pejorativa. "Os Kirchner são de esquerda, mas uma esquerda que, 'mamma mia', é uma gangue", disse no livro "Pepe Colóquios", do jornalista Alfredo García, publicado antes de ser eleito presidente em 2009.

Ainda na quinta-feira, um vídeo foi publicado no Youtube, em repúdio aos comentários de Mujica. Uma música ironiza o comentário "essa velha é pior que o caolho" e diz que o presidente uruguaio deveria "olhar ao seu redor" antes de falar.

Além disso, as frases "que triste que se falte com respeito a um presidente" e "que essas coisas não aconteçam mais...respeito entre países irmãos" aparecem no vídeo, condenando a ação de Mujica.

O jornal argentino La Nación, por sua vez, divulgou em sua edição digital um vídeo de Cristina em um ato em 2011 no qual curiosamente a governante se referiu ao problema de visão do marido com as mesmas palavras de Mujica. "Era caolho, mas via muito melhor que outros que têm os dois olhos, lentes de contato e outras coisas."

Com informações da Efe

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.