Mulá Omar diz que não vê Bin Laden há anos

O líder da milícia Taleban, o mulá Mohammad Omar, acrescentou mais mistério sobre o paradeiro de Osama bin Laden ao declarar que não vê seu aliado desde que as forças apoiadas pelos Estados Unidos derrubaram o grupo do poder no Afeganistão, em 2001. "Não, não o vi, nem fiz esforços para vê-lo, mas rezo por sua saúde e segurança", disse Omar em resposta por e-mail a perguntas mandadas pela Reuters. As perguntas foram transmitidas a Omar por meio de seu porta-voz, Mohammad Hanif. Durante a primeira metade de 2006, foram divulgadas seis mensagens de áudio de Bin Laden, mas o líder da Al Qaeda apareceu em vídeo pela última vez no final de 2004. Fitas de seu vice, Ayman al-Zawahri, têm sido gravadas com regularidade. Um vídeo de Bin Laden foi divulgado no final do ano passado, mas foi identificado como imagem antiga, e o quinto aniversário dos ataques de 11 de setembro nos Estados Unidos passou sem qualquer mensagem do líder da Al Qaeda. A especulação sobre a localização e sobre a saúde de Bin Laden aumentou em setembro, quando um jornal local francês noticiou que ele havia morrido de febre tifóide em agosto. Apesar de muitos governos e agências de inteligência terem rejeitado a notícia, dizendo não ter evidências sobre a morte de Bin Laden, ninguém tem idéia do paradeiro do líder. Filho de uma rica família da Arábia Saudita, Bin Laden ajudou o Taleban ao se mudar para o Afeganistão em meados dos anos 1990. Acredita-se que ele tenha casado com uma das filhas do mulá Omar para selar a aliança entre eles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.