´Mulá Omar´ promete mais violência no Afeganistão

Uma mensagem colocada na internet e atribuída ao líder espiritual do Talebã, mulá Mohammad Omar, diz que o Afeganistão terá um aumento "surpreendente" na violência nos próximos meses."Nos próximos meses a guerra vai se tornar muitas vezes mais vigorosa e organizada. Eu acredito que a guerra vai se tornar vigorosa num nível surpreendente", diz a mensagem. O comunicado também ameaça julgar o presidente afegão, Hamid Karzai, em um tribunal islâmico. Na mensagem, cuja autenticidade não foi confirmada, o autor que se identifica como mulá Omar critica a ONU e a Otan (aliança militar ocidental, que atua no país) e faz um apelo a muçulmanos de diferentes escolas se unirem.O paradeiro do líder do Talebã é desconhecido, mas há relatos de que ele estaria escondido no Paquistão ou no Afeganistão. Ele está foragido desde que o regime do Talebã foi derrubado pelas forças internacionais, lideradas pelos Estados Unidos, no fim de 2001.A mensagem foi elaborada especialmente para o festival Eid el-Fitr, que marca o fim do mês sagrado do Ramadã para os muçulmanos. ViolênciaForças da ONU e da Otan já vêm enfrentando um aumento das atividades do Talebã no sul e no leste do país.Somente neste domingo, choques entre membros de milícias rivais deixaram 12 mortos, na província de Herat.O confronto teria começado quando um grupo de militantes entrou numa área controlada pela outra milícia. Soldados afegãos foram deslocados para o local para separar os grupos, ambos da etnia Pashtun, que é majoritária no Afeganistão. SecaAlém da violência, o país enfrenta uma seca, que ameaça deixar quase dois milhões de pessoas sem comida suficiente nas províncias do sul, segundo estimativas da ONU e do governo afegão.As duas instituições fizeram um apelo por doações emergenciais no valor de US$ 40 milhões para aliviar os efeitos da seca. O apelo é feito num momento em que o Afeganistão não recebeu nem metade dos US$ 76 milhões pedidos em julho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.