Mulá Omar rechaça governo compartilhado

O líder do Taleban, mulá Mohammed Omar rechaçou hoje uma possível cooperação por parte do mundo para a formação de um governo popular no Afeganistão. De acordo com ele, os problemas para constituir um governo popular de diversidade étnica no Afeganistão duram mais de 20 anos e nada foi conseguido até agora. Após uma entrevista à rádio BBC, Omar declarou que a cidade de Kandahar ainda pertence ao Taleban e acrescentou possuir um "grande plano" para destruir os Estados Unidos que será colocado em prática em pouco tempo. "Preferimos a morte a ter um governo de fascistas", disse Omar. Ele esclareceu que o plano para destruir os Estados Unidos está em andamento. "A situação atual no Afeganistão está relacionada com uma causa ainda maior: a destruição dos Estados Unidos. O plano está em andamento e Deus nos ajudará. Mas é uma tarefa que vai além da compreensão dos seres humanos", declarou o líder taleban. Ainda segundo ele, se Deus os ajudar, o plano para destruir os Estados Unidos sairá do papel em pouco tempo. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.