Mulher-bomba mata 11 pessoas e fere 19 no Iraque

Um atentado perpetrado por uma mulher-bomba deixou pelo menos 11 mortos e 19 feridos no centro de Baquba, capital da província iraquiana de Diyala. O ataque ocorreu em frente a um fórum em Baquba, uma das áreas mais violentas do país. O chefe do conselho provincial, Ibrahim Bajilan, disse que aparentemente tratava-se de um duplo atentado suicida. Porém, o homem que acompanhava a suicida e também detonaria explosivos falhou e foi preso."Nós estávamos dentro do prédio do tribunal quando ouvimos uma grande explosão, seguida pelo choro das pessoas", relatou Abu Mohammed, um advogado de 55 anos. "Nós corremos para fora do prédio. Não podíamos ver nada, pois havia fumaça por toda parte." O advogado disse que os alvos aparentemente eram veículos do Exército iraquiano estacionados perto dali. Segundo ele, foram danificadas cinco lojas nas proximidades.Baquba e as áreas vizinhas sofrem com o aumento dos atentados realizados por mulheres-bomba, nos últimos meses. Isso apesar dos esforços dos Estados Unidos para recrutar e treinar mais mulheres para as forças iraquianas. Baquba é um ex-bastião da Al-Qaeda, localizado 60 quilômetros a nordeste de Bagdá.Uma das "vantagens" das mulheres-bomba é que suas vestes largas facilitam que os explosivos sejam escondidos. Além disso, elas geralmente não passam por algumas das revistas a que os homens são submetidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.