Mulher de 79 anos condenada por matar ex-namorado de 85

Um júri da cidade de Atlanta, no Estado da Geórgia (EUA), condenou à prisão perpétua Lena Driskell, de 79 anos, que confessou ter matado seu ex-namorado Herman Winslow, de 85, porque achava que ele a traía com várias mulheres.O júri condenou Lena por homicídio qualificado e posse ilegal de arma de fogo depois que os advogado da defensoria argumentaram que a desculpa da idosa de que Herman tinha muitas aventuras amorosas era uma "aberração mental"."Não havia outra mulher. Herman tinha 85 anos", disse a advogada Deborah Poole em sua alegação final. A promotoria, porém, ressaltou que a tese de loucura era insustentável e que a mulher tinha admitido que sabia ter agido mal quando matou Winslow, em 10 de junho de 2005, com quatro tiros na cabeça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.