Mulher de arcebispo já teria sido casada

Um porta-voz da mulher de um arcebispo católico disse nesta quarta-feira desconhecer o fato de que a mulher já teria sido casada antes com um napolitano. Citando fontes não identificadas, o jornal La Stampa, de Turim, informou que o Vaticano foi informado na terça-feira por um sacerdote da zona de Nápoles sobre o suposto matrimônio de Maria Sung na década passada. Sung se casou em maio com o arcebispo Emmanuel Milingo, de Zâmbia, ex-dignitário do Vaticano, em uma cerimônia coletiva em Nova York oficiada pelo líder religioso sul-coreano Sun Myung Moon.Milingo deixou pouco depois a mulher e explicou na semana passada, em entrevista pela televisão, que havia aceitado a exortação do papa João Paulo II para regressar à Igreja Católica e manter o voto de celibato sacerdotal. Segundo o La Stampa, Sung teria se casado com o napolitano em meados da década passada quando ela trabalhava em Nápoles como acupunturista.Um paciente do consultório contou ao sacerdote sobre o matrimônio, indicou o jornal. Também apelando para fontes não identificadas, o La Stampa diz que o napolitano teria dito a um familiar que a mulher o deixou subitamente. Em várias entrevistas, a imprensa indagou Maria Sung sobre versões similares de casamentos anteriores, mas ela se negou a responder dizendo tratar-se de um assunto privado.Sung, de 43 anos, está no 16º dia de uma greve de fome na tentativa de persuadir o Vaticano a permitir-lhe encontrar-se com Milingo, de 71 anos, que já chefiou a arquidiocese de Lusaka em Zâmbia. A sul-coreana não tem notícias do marido africano desde 8 de agosto, o dia seguinte do encontro de Milingo com o pontífice para evitar ser excomungado por seu casamento.A mulher quer reunir-se a sós com Milingo. O Vaticano quer realizar o encontro sob supervisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.