Mulher de ex-líder comunista chinês é condenada à morte

Gu Kailai foi considerada culpada pelo assassinato de empresário britânico; pena pode ser convertida em prisão perpétua em caso de bom comportamento

Agência Estado,

20 de agosto de 2012 | 00h06

A Corte Intermediária do Povo de Hefei, localizada no leste do país, considerou Gu Kailai culpada pelo assassinato de empresário britânico Neil Heywood e a condenou à pena de morte suspensa, que pode ser comutada por prisão perpétua em caso de bom comportamento.

Gu Kailai é esposa de Bo Xilai, oficial que estava em ascensão do Partido Comunista chinês, mas que acabou deposto após o caso. Ainda não há mais detalhes sobre a decisão tomada pelo tribunal. O destino de Zhang Xiaojun, um assessor da família de Bo Xilai também implicado no assassinato, também não ficou esclarecido.

A possibilidade de que Gu Kailai escapasse da pena de morte já era esperada, por causa do status de sua família no Partido Comunista, do seu histórico de problemas mentais e por sua alegação de que Heywood havia ameaçado seu filho, afirmam analistas e membros do partido. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
mulherBo Xilaicondenação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.