REUTERS/Ueslei Marcelino
REUTERS/Ueslei Marcelino

Mulher de líder opositor chega ao Brasil para alertar sobre situação na Venezuela

Lilian Tintori disse que diálogo entre governo e oposição 'fracassou' e solução para o país é a convocação de eleições gerais

Lu Aiko Otta, O Estado de S.Paulo

11 Maio 2017 | 12h43

A mulher do líder opositor venezuelano Leopoldo López, Lilian Tintori, está no Brasil para uma série de contatos políticos e visa chamar a atenção para a situação em seu país.  "Vivemos uma crise humanitária,  social e política ", disse ela nesta quinta-feira, 11, após se reunir com o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Lilian afirmou que o diálogo entre governo e oposição "fracassou" e, em um mês, o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, deu um golpe e "mandou disparar contra 42 venezuelanos". A solução para o problema, segundo ela, é a convocação de eleições gerais. 

A mulher do opositor ressaltou que há 267 presos políticos na Venezuela, entre eles dois prefeitos e um deputado.

Leopoldo López foi acusado de incitar violência durante um ato contra o governo em fevereiro de 2014. A manifestação deu início a uma onda de protestos no país que deixou 43 mortos e centenas de feridos.

Lilian veio acompanhada da sogra, Antonieta, e deverá ser recebida ainda nesta quinta-feira pelo presidente Michel Temer. Ela também se reunirá com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que articula a conferência parlamentar com representantes de países latino-americanos no dia 23 para discutir a situação venezuelana.

Veja abaixo: Venezuela divulga vídeo para desmentir morte de Leopoldo López

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.