REUTERS/Flavio Lo Scalzo/Files
REUTERS/Flavio Lo Scalzo/Files

Mulher de Netanyahu deve ser julgada por corrupção em Israel

Procurador-geral de Israel, no entanto, deu a possibilidade a Sara Netanyahu e seus advogados de apresentarem um recurso a respeito do início do processo

O Estado de S.Paulo

08 Setembro 2017 | 13h40

TEL-AVIV - A Justiça israelense informou nesta sexta-feira, 8, a mulher do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, Sarah Netahyahu, que está examinando a possibilidade de julgá-la em um caso de suposto uso indevido de fundos públicos.

O procurador-geral de Israel, no entanto, deu a possibilidade a Sara Netanyahu e seus advogados de apresentarem um recurso a respeito do início do processo, com base no princípio do contraditório, informou o ministério da Justiça.

Sara Netanyahu é suspeita de ter solicitado centenas de refeições e pratos refinados avaliados em 359.000 shekels (102.000 dólares) e de ter repassado os gastos à residência do primeiro-ministro, embora fossem destinados ao consumo pessoal, informa um comunicado. Ela alega inocência. 

Netanyahu não está envolvido no caso. Mas um eventual julgamento de sua esposa poderia complicar sua situação, que já é difícil, no momento em que o primeiro-ministro enfrenta duas investigações. 

Netanyahu, de 67 anos e à frente do governo desde 2009, depois de ter comandado o país entre 1996 e 1999, já foi considerado suspeito em outras ocasiões, mas nunca processado.

 

Mais conteúdo sobre:
Israel [Ásia]

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.