Leonhard Foeger/Reuters
Leonhard Foeger/Reuters

Mulher é condenada a 6 meses de prisão por furar quarentena na Áustria

Acusada saiu de casa sem máscara após ter sido diagnosticada com o novo coronavírus

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2020 | 17h44

VIENA -  Uma mulher foi condenada nesta quarta-feira por um tribunal em Klagenfurt, no sul da Áustria, a seis meses de prisão e uma multa de 800 euros (cerca de R$ 4,8 mil) por furar a quarentena obrigatória após testar positivo para o novo coronavírus, de acordo com informações da emissora de TV pública ORF.

Apesar de estar infectada com o vírus, a acusada deixou sua casa no sul da Áustria no final de março para ir, sem máscara, a uma agência dos correios de um supermercado com o objetivo de transferir dinheiro para parentes na Bósnia e Herzegovina.

A mulher de 49 anos se declarou culpada perante o juiz, mas explicou que só saiu de casa porque sua neta estava doente e sua família precisava do dinheiro para comprar remédios.

Segundo a ORF, o juiz justificou a sentença proferida hoje como um aviso "a alguns da população" que tendem a não cumprir as medidas ordenadas pelas autoridades para combater a pandemia da covid-19.

É a primeira vez que a Justiça austríaca considera uma pessoa culpada por ignorar a quarentena ordenada após infecção pelo novo coronavírus.

A Áustria é um dos países na Europa que até o momento melhor administrou a pandemia, com aproximadamente 20 mil infecções e 700 mortes. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.