Mulher é multada em US$ 7,5 milhões por vender bolsas falsas em Taiwan

A sentenciada, de 41 anos de idade, ganhou US$ 15.150 com a venda das bolsas falsificada e foi condenada a pagar à firma de luxo 500 vezes o montante de seu ganhou

EFE

12 de abril de 2009 | 05h23

Uma ex-vendedora de uma famosa marca de luxo foi condenada a pagar US$ 7,5 milhões pela venda de quatro bolsas falsas em Taiwan, informou a firma de advogados que conduz o caso.

 

"A sentença mostra que o Tribunal protege com firmeza os direitos de propriedade intelectual das empresas estrangeiras e uma maior disponibilidade a pedir pagamentos maiores pelos danos", disse a empresa legal Winkler Partners, em comunicado.

 

O tribunal de Taipé declarou culpada de ter vendido quatro bolsas Birkin uma ex-empregada da empresa em Taiwan, que após adquirir as bolsas falsas no estrangeiro, as vendeu em lojas de segunda mão.

 

A sentenciada, de 41 anos de idade, ganhou US$ 15.150 com a venda das bolsas falsificada e foi condenada a pagar à firma de luxo 500 vezes o montante de seu ganhou, segundo o comunicado da Winkler Partners.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.