Centro de Detenção de Beaufort / AP
Centro de Detenção de Beaufort / AP

Mulher é parada nos EUA por excesso de velocidade e diz que não pode ser presa porque é ‘branca’

Lauren Elizabeth Cutshaw, de 32 anos, se descreveu na delegacia como uma mulher ‘com classe’, ‘branca e pura’

O Estado de S.Paulo

10 Agosto 2018 | 08h23

ATLANTA, EUA - Uma mulher que foi parada nos EUA por policiais por trafegar a cerca de 90 km/h disse a eles que não deveria ser presa porque é “uma mulher branca muito pura, com classe”.

Segundo a polícia de Bluffton, na Carolina do Sul, Lauren Elizabeth Cutshaw não conseguia pronunciar muito bem as palavras e o nível de álcool em seu sangue era de 0,18%.

Lauren, agente imobiliária de 32 anos, disse à policial que a deteve que não deveria ser presa porque era bailarina e se formou em uma “universidade muito reconhecida”.

Ao ser encaminhada à delegacia, ela se descreveu como uma mulher “com classe” e “branca e pura”, escreveu a agente em seu relatório. “Perguntei o que eu tinha a ver com isso tudo”, disse ela. “É policial, deve saber o que isso significa”, respondeu Lauren.

Reveja os protestos nos EUA pela morte de um jovem negro

A detida disse ainda que seu noivo é policial e que estava a caminho da casa dele quando foi presa, na madrugada de sábado, 4. A agente imobiliária contou à polícia que havia bebido vinho em um restaurante. Outro agente encontrou maconha no veículo dela.

Lauren continua presa por conduzir sob efeito de álcool, excesso de velocidade e posse de maconha. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.