Mulher ganha ação milionária contra governo Fidel Castro

Com base em uma lei federal que permite às famílias de cidadãos americanos vítimas do terrorismo de Estado pleitear indenização em tribunais dos Estados Unidos, por danos e prejuízos, Janet Weininger entrou na Justiça com ação contra o governo cubano. Na ação, ela acusou o governo de Fidel Casto de executar seu pai, o piloto Thomas Ray, após a fracassada tentativa de desembarque de forças anticastristas na Baía dos Porcos, em 1961. Quinta-feira, a Justiça decidiu que Cuba terá de pagar a Weininger indenização de mais de US$ 86 milhões. ?Os esforços para receber (a indenização) representam outra luta?, disse León Patricios, advogado de Weininger. O governo cubano não se defendeu e nem esteve representado no tribunal. Em ações semelhantes movidas por familiares de americanos mortos durante a invasão da Baía dos Porcos a Justiça americana deu parecer favorável, mas nunca as indenizações pedidas tiveram valor tão elevado. Ray era piloto da Guarda Nacional de Alabama. Ele foi o instrutor de cerca de 60 pilotos que participaram da tentativa de invasão a Cuba, em abril de 1961, patrocinada pela CIA, para tirar Fidel Castro do poder.O B-26 de Ray foi derrubado menos de 48 horas depois do primeiro ataque à Baía dos Porcos. O piloto foi dado como desaparecido até que em 1979 o governo cubano entregou seu cadáver à famía. Seis anos mais tarde, refugiados cubanos disseram a Weininger que seu pai havia sido executado e, provavelmente, o corpo do piloto foi exibido por Castro como prova da participação dos Estados Unidos na fracassada invasão. Foram capturadas mais de mil pessoas, a maioria refugiados cubanos, e pelo menos cem foram executadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.