Mulher morre de gripe suína na Espanha após dar à luz

Uma jovem marroquina, de 20 anos, morreu hoje na Espanha devido à Influenza A (H1N1), conhecida como gripe suína, informou o Ministério da Saúde do país. Ela morreu apenas um dia depois de dar à luz em um hospital madrileno. A informação sobre contaminação ou não do bebê ainda depende de exames. O ministério espanhol disse que ela já tinha histórico de asma e morreu em decorrência de uma doença respiratória provocada pela nova gripe. A morte da marroquina é a primeira influenciada pelo vírus A H1N1 ocorrida na Europa continental. As outras três mortes na Europa ocorreram na Grã-Bretanha.

AE-AP, Agencia Estado

30 de junho de 2009 | 10h43

A jovem estava na 28ª semana de gestação. Os médicos realizaram uma cesariana para retirar o bebê quando a saúde dela piorou. A criança, um menino, nasceu com 1,4 quilograma e está numa unidade de terapia intensiva (UTI) pediátrica, informou Trinidad Jimenez, disse hoje em Madri a ministra espanhola da Saúde. Um comunicado do ministério diz que a criança passa bem, mas Trinidad esclareceu que os médicos só saberão dentro de um ou dois dias se a criança contraiu o vírus. A primeira morte por gripe suína no país ocorre em um momento no qual o governo espanhol confirma 717 casos da doença no país.

O Havaí também confirmou hoje a primeira morte por gripe suína no Estado insular norte-americano. A vítima era um homem de 60 anos de idade, que apresentava outros problemas de saúde. Os Estados Unidos possuem mais de 27.000 casos da doença, dos quais 127 terminaram em morte, segundo dados compilados pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças do país até quinta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
gripe suínaEspanhavítimamorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.