Mulher nicaragüense completa 116 anos

Eva Rayo Potosme pode ser a mulher mais velha do país - e, talvez, do mundo. Segundo seus parentes, ela completou 116 anos no domingo. A data foi celebrada com uma festa. "Doña" Eva vive na cidade de Niquinohomo, a cerca de 33 km de Manágua, a capital nicaragüense. "Gosto de tomar sopa de caldo de carne com verduras, e foi isso que tomei durante toda a minha vida", disse ela à Associated Press, ao ser consultada sobre a receita para a longevidade. Seus parentes dizem não ter documentos que comprovem a idade de doña Eva, "porque o registro civil das pessoas do povoado foi destruído", mas argumentam que seu esposo, que era mais novo do que ela, morreu, há 38 anos, aos 75. Um de seus filhos mais velhos tem comprovadamente 75 anos e o mais novo dos bisnetos, três anos. Ela diz que gostava de trabalhar. "Eu viajava com meu marido em um carro de bois de Niquinohomo até Granada (cerca de 15 km a leste), para vender verduras", contou. "Naquela época não havia estradas e, nos caminhos cheios de lama, os bois atolavam". Assegura que nunca gostou de bebidas alcoólicas, mas chegou a ser presa por vender uma aguardente, chamada "cususa", à base de milho. Também não gostava de festas, e "a única dor de cabeça" que teve na vida, além dos 10 partos, foi o fato de seu marido, Eusebio Canda, ter uma amante. "Ela morreu antes dele e não fiquei contente. Fiquei triste com sua morte", confessou.Quando lhe perguntamos se tinha medo de morrer, respondeu: "E quem quer morrer?".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.