Mulher paralisada usa mente para controlar braço robô

Usando apenas seus pensamentos, Cathy Hutchinson, uma mulher de Massachusetts, paralítica há 15 anos, conseguiu fazer com que um braço robótico pegasse uma garrafa com café e a levasse até seus lábios. No último ano, histórias semelhantes mostraram experiências como a de um homem tetraplégico da Pensilvânia, que tocou e apertou a mão da namorada, e a de um homem paralisado que controlou remotamente um pequeno robô que andou por um laboratório suíço.

AE, Agência Estado

16 Maio 2012 | 16h38

O último relato, que foi publicado na internet nesta quarta-feira no site da revista Nature, foi feito por cientistas da Brown University, do Centro Médico Providence VA, em Rhode Island, da Harvard Medical School e de outras instituições.

Ele descreve como duas pessoas que perderam o uso de seus braços e pernas por causa de acidentes vasculares cerebrais, anos antes, conseguiram controlar braços robóticos com a ajuda de um pequeno sensor implantado em seus cérebros.

O sensor, que tem o tamanho de uma aspirina infantil, reconhece a atividade elétrica de algumas dezenas de células cerebrais enquanto participantes do estudo imaginavam a movimentação de seus braços. O chip envia os sinais para um computador, que os traduz em comandos para os braços robóticos.

Pesquisadores disseram que no caso de Hutchinson, os resultados mostram que o chip implantado continua a funcionar após cinco anos e que seu cérebro ainda gera sinais que podem ser interpretados, embora ela não mova seus braços há quase 15 anos.

O objetivo final, dizem os pesquisadores, é implantar um artefato que possa reativar os membros paralisados de uma pessoa. Outra meta é fazer funcionar próteses de alta tecnologia para amputados. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EUArobôparalisia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.