Mulheres londrinas ganham táxis cor-de-rosa, contra estupros

As londrinas estão prestes a ganhar uma nova alternativa de transporte contra os estupros: os chamados táxis cor-de-rosa. "Em breve, as mulheres terão chance de voltar mais seguras para casa", garantiu Tina Dutton, dona da companhia Pink Lady (Dama de Rosa). Londres tem hoje uma média mensal de dez ataques (estupros, assédios, assaltos) a mulheres em táxis ilegais.Os novos carros (todos cor-de-rosa e da marca Renault Kangoo), exclusivos para elas, começarão a circular em Londres no dia 24. Os táxis serão dirigidos apenas por mulheres. Detalhe: todas são treinadas em artes marciais. O único homem da companhia, ressalta Tina, será o mecânico. Mais: no interior dos veículos, as clientes irão encontrar itens essenciais para elas, como espelho e até um kit de maquiagens.Para usar os serviços, as mulheres terão de ser sócias da empresa, através de uma cota mensal. O pagamento da corrida será feito com cartão de crédito. "Caso seja de noite, e a cliente não esteja com dinheiro, poderá dispensar uma perigosa visita ao caixa eletrônico", afirma Tina.A empresária acredita que seu público terá um perfil bem definido: mulheres jovens ou aposentadas que geralmente utilizam táxis para ir ao bingo. Caso a idéia obtenha sucesso em Londres, a empresa planeja lançar os veículos em outras cidades consideradas inseguras, como Manchester.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.