Mulheres não poderão participar de eleição na Arábia Saudita

O Ministério do Interior da Arábia Saudita confirmou hoje que as mulheres não poderão votar nem apresentar-se como candidatas na primeira eleição municipal de abrangência nacional, marcadas para o período entre 10 de fevereiro e 21 de abril. "Não creio que será possível", respondeu no domingo o ministro do Interior, príncipe Nayef, quando indagado por jornalistas no Kuwait se as mulheres iriam poder votar. Desse modo ele pôs um ponto final nas especulações sobre a possibilidade da participação feminina, uma vez que a lei baixada em agosto para fixar a data das eleições nada dizia sobre o assunto. Isso animou três mulheres a declararem sua intenção de candidatar-se. A Arábia Saudita é uma monarquia absoluta. A família Saud, que dá nome ao reino, governa com o apoio de um Conselho Consultivo, cujos membros são todos escolhidos pela casa real. Partidos políticos são proibidos e a liberdade de imprensa é limitada. Os homens sauditas vão eleger pela primeira vez a metade dos membros dos conselhos municipais que serão criados nas 13 províncias da Arábia Saudita, como parte de um pacote de medidas para promover reformas democráticas no reino.

Agencia Estado,

11 Outubro 2004 | 18h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.