Kevin Lamarque / REUTERS
Kevin Lamarque / REUTERS

Mulheres sauditas já podem sair do país sem autorização de 'tutor'

A medida suavizou o sistema saudita de "tutor masculino", que converte as mulheres em menores legais durante toda a vida

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2019 | 04h16

RIAD -  As autoridades da Arábia Saudita começaram a aplicar, nesta terça-feira, 20, a reforma anunciada no início de agosto para permitir que as mulheres obtenham passaporte e possam viajar sem a permissão de um "tutor" masculino.

A administração saudita passou a "receber as solicitações de mulheres com ao menos 21 anos para obter ou renovar um passaporte e viajar para fora do reino sem autorização" de um tutor, anunciou no Twitter o departamento de passaportes.

A medida, anunciada em 1º de agosto, suavizou o sistema saudita de "tutor masculino", que converte as mulheres em menores legais durante toda a sua vida ao submetê-las à autoridade de seu marido, pai ou outros familiares masculinos.

A decisão se dá em um contexto de liberalização impulsionada pelo príncipe-herdeiro saudita, Mohamed bin Salman - governante de fato do reino - para transformar o Estado conservador, muito criticado pelo tratamento dado às mulheres.

Outra decisão anunciada permitirá às sauditas registrar oficialmente nascimento, casamento ou divórcio, e ter a autoridade parental sobre seus filhos menores, prerrogativas até o momento reservadas aos homens. AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.