Multa nos EUA não afeta bancos da França, diz ministro

O ministro de Finanças da França, Michel Sapin, disse neste domingo que os bancos franceses não estão em perigo em função das decisões da Justiça dos Estados Unidos e que os riscos agora estão mais centralizados em outros bancos europeus. Recentemente, o banco francês BNP Paribas concordou em pagar US$ 9 bilhões por ter infringido sanções dos EUA contra o Sudão, Irã e outros países.

AE, Agência Estado

06 Julho 2014 | 11h05

Questionado se está preocupado com essa situação do BNP Paribas e outros bancos franceses, Sapin disse que não. "O risco é maior para outros grandes bancos europeus", afirmou, acrescentando que o BNP conseguiu se organizar de forma que a multa recebida nos EUA não colocasse suas operações em perigo. Outros dois bancos franceses, o Société Générale e o Crédit Agricole, já disseram que também estão sendo investigados nos EUA.

Sapin reiterou que os formuladores de políticas na Europa deveriam buscar maneiras de encorajar o uso do euro no comércio internacional, em detrimento do dólar. O assunto deve ser discutido pelo grupo de ministros de Finanças da zona do euro em Bruxelas nesta segunda-feira. "Não fomos nós que pedimos que esse assunto fosse colocado na agenda, mas eu conversei sobre isso com vários colegas e todo mundo concorda que é um bom ponto de debate", afirmou. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
França bancos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.