Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Multiculturalismo britânico facilita o terrorismo, diz relatório

O caráter multicultural da Grã-Bretanhatorna o país mais vulnerável ao terrorismo islâmico, justamentepor causa de cisões na identidade política e nos valoresnacionais, segundo relatório divulgado na sexta-feira pelaentidade Instituto dos Reais Serviços Unidos, que foiprontamente contestado pelo governo. "Parecemos uns frouxos. Somos de fato uns frouxos, tantopara dentro quanto para fora", diz o relatório. A integração (ou não) das comunidades étnicas naGrã-Bretanha, especialmente seus 1,8 milhão de muçulmanos, éuma das grandes questões políticas desde que quatro jovensmuçulmanos nascidos na Grã-Bretanha cometeram um atentado quematou 52 pessoas nos transportes públicos de Londres, em julhode 2005. A política oficial do país é de não impor uma identidadebritânica única, preferindo promover uma sociedademulticultural, o que para muitos na verdade provoca asegregação de minorias. O relatório do Rusi (na sigla em inglês), baseado emconclusões de ex-comandantes militares, diplomatas e analistas,conclui que "a falta de autoconfiança do país está em fortecontraste com a implacabilidade do inimigo terroristaislâmico". "A segurança do Reino Unido está em risco e sob ameaça",disse o texto, que propõe a criação de uma comissão ministerialpara supervisionar a política de segurança, e de uma comissãoparlamentar para identificar falhas na proteção do país. "O terrorismo islâmico é onde as pessoas tendem a começar.O Reino Unido se apresenta como um alvo, uma sociedadefragmentária, pós-cristã, cada vez mais dividida a respeito dasinterpretações da sua história, sobre seus objetivos nacionais,seus valores e sua identidade política", disse o instituto. "Essa fragmentação é agravada pela firme auto-imagem desseselementos internos que se recusam a se integrar", acrescenta orelatório, com críticas também "à falta de liderança damaioria, que numa equivocada deferência ao 'multiculturalismo'fracassou em estipular a linha às comunidades imigrantes." O governo reagiu com indignação, dizendo, segundo umporta-voz, "rejeitar qualquer sugestão de que a Grã-Bretanhaseja molenga com terroristas". "Temos uma estratégia detalhada e robusta para conter oterrorismo internacional", afirmou esse porta-voz. Em entrevista à rádio BBC, o parlamentar trabalhista(governista) Keith Vaz criticou o relatório por atribuir oterrorismo ao multiculturalismo. "Acho que um dos problemas comeste relatório é que eles não olharam de verdade para nossasociedade multicultural para ver quais benefícios ela trouxe aopaís. Ele não tem sido molenga com o terrorismo." (Reportagem de Tim Castle)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.