Multidão acompanha funeral de sul-coreano decapitado

Cerca de 3.000 pessoas, a maioria em trajes negros, acompanharam o funeral do sul-coreano decapitado por rebeldes no Iraque, intensificando ainda mais o debate sobre o envio de soldados da Coréia do Sul ao país árabe. A cerimônia fúnebre foi realizada em um ginásio decorado com crisântemos brancos e uma faixa na qual se lia "Eu amo o Iraque" escrita em coreano, árabe e inglês. Kim Sun-il, um intérprete de 33 anos que trabalhava para uma empresa que fornece suprimentos ao Exército dos Estados Unidos, foi assassinado por rebeldes iraquianos em 22 de junho, depois de a Coréia do Sul ter rejeitado a exigência dos seqüestradores para que cancelasse seus planos de enviar 3.000 soldados ao Iraque. Em uma mensagem lida pelo irmão de Kim, Jin-kook, a família em luto ofereceu perdão e reconciliação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.