Multidão incendeia trem depois de atentado em Bangladesh

Uma multidão enfurecida ateou fogo hoje emum trem de passageiros e manifestantes entraram em choque com a polícia em vários pontos de Bangladesh, deixando um saldo dedezenas de feridos. A violência foi iniciada após um ataque com granadas ontem contra um comício da oposição que deixou 19 mortos e centenas de feridos.O trem foi atacado quando entrava na estação da cidade de Bhairab, 80 quilômetros a leste de seu destino, a capital, Daca. Cerca de 20 passageiros ficaram feridos. Os manifestantesjogaram gasolina em 15 dos 25 vagões da composição e atearam fogo, disse a polícia, que lançou bombas de gás para dispersar amultidão. Os partidários da oposição também saquearam um trem que estava parado na estação da cidade portuária de Chittagong. Pelomenos 230 pessoas foram detidas. Na capital, cerca de 25 mil pessoas compareceram ao funeral das vítimas do atentado. A polícia usou bastões contra um grupo que jogou pedras contra ela.Os líderes do partido de oposição Liga Awami dizem que o alvodo atentado com granadas de sábado era a ex-primeira-ministraHasina Wajed, que acabara de fazer um discurso a cerca de 30 milpessoas. Ela escapou com pequenos ferimentos em uma das mãos. "Uma série de granadas explodiu com segundos de intervalo.Enquanto os seguranças levavam Wajed, seu automóvel foi atingidopor pelo menos sete disparos", disse o secretário da candidatada oposição, Saber Hussain Chowdhury. "Foi uma autêntica carnificina, pior que um filme de guerra,com cadáveres e sangue por todas as partes", disse ele.A Liga Awami está realizando uma campanha para derrubar ogoverno, formado por uma coalizão de quatro partidos, entre eleso islâmico, e liderado pelo Partido Nacionalista de Bangladesh(BNP), do primeiro-ministro Khaled Zia. Em um comunicado, o Partido Nacionalista de Bangladeshqualificou o atentado de "bárbaro e lamentável" e negou quetenha alguma implicação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.