Multidão toma as ruas de Washington para ver a posse

As ruas da capital dos Estados Unidos pulsam de expectativa, com uma multidão determinada a testemunhar a posse do presidente eleito Barack Obama inundando as linhas de trânsito e obstruindo os postos de controle. Dezenas de milhares de pessoas, prontas para enfrentar temperaturas abaixo de zero, saem das estações de metrô e seguem para a avenida Pennsylvania e para o National Mall para a cerimônia. Às 4h da manhã (horário local, 7h em Brasília), filas se formavam nos estacionamentos de subúrbio do sistema de metrô, que abriu uma hora mais cedo e colocou trens extras em razão da expectativa de aumento da demanda. Muitos estacionamentos ficaram cheios e tiveram de ser fechados. As ruas ao redor do Capitólio ficaram rapidamente cheias de gente e os postos de controle ficaram lotados. Às 7h45 (10h45 em Brasília), os termômetros registravam seis graus abaixo de zero. Barracas de aquecimento e outras facilidades no National Mall abriram com atraso porque o trânsito e a multidão impediram os funcionários de chegarem ao local. Pessoas com entradas para o local da posse, no Capitólio, esperavam pela revista dos seguranças numa fila com milhares de pessoas. Connie Gran disse que levantou às 3h30 (horário local), depois de ter vindo do Alabama com um grupo. Três horas depois ela ainda estava esperando que a polícia abrisse caminho para tentar chegar ao National Mall. Ela disse que não se importa. "Eu me sacrifiquei e vim até aqui. Para mim, isto é histórico. Eu queria estar aqui". Christian Alderson foi ao Memphis, Tennessee, em 1968, para apoiar a greve dos funcionários de saneamento e disse que estava lá quando Martin Luther King Jr. foi assassinado. "Aquele dia foi muito triste", disse Alderson, de 73 anos. "Este é um sonho que se torna realidade para mim". Uma atmosfera de mercado de pulgas prevalece nas ruas do centro de Washington, com barracas brancas vendendo camisetas e canecas estampadas com a foto de Obama, bem como comida, água e cachecóis. O cheiro de linguiça grelhada e de comida chinesa é sentido por quem se encaminha para a rota do desfile, mas de seis horas antes de Obama passar pelo local. No metrô, as pessoas já demonstravam bom humor nas primeiras horas do dia. Em Fredericksburg, Virgínia, uma hora ao sul de Washington, os gritos de "Obama! Obama!" eram ouvidos numa estação de trem quando a linha começou a funcionar, às 5h, para a primeira viagem a Washington. Essa atmosfera só foi atrapalhada por atrasos e pelas expectativas frustradas dos que querem chegar logo para a posse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.