Manu Fernandez/AP
Manu Fernandez/AP

Mundo comemora Parada Gay

Onze países escolheram este fim de semana para se manifestar pela diversidade

estadão.com.br, com agências,

27 de junho de 2010 | 18h07

SÃO PAULO- Este fim de semana foi escolhido pela comunidade gay de vários países para reivindicar seus direitos e se manifestar a favor da diversidade. No sábado, nova países realizaram a tradicional Parada Gay: Estados Unidos, França, Espanha, Bulgária, Chile, México, El Salvador, Panamá e Colômbia comemoraram juntos. Neste domingo, o Dia do Orgulho Gay foi celebrado novamente nos Estados Unidos e Espanha, e na Turquia e Índia.

 

Em Nova York, milhares de participantes acompanhados de carros alegóricos começaram a passeata na 5ª Avenida com destino a Greenwich Village. O prefeito da cidade, Michael Bloomberg, e o governador David Paterson participam das celebrações.

 

Em São Francisco, um show do Back Street Boys levou milhares de pessoas à Praça Central da cidade, inclusive a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi. Esta é a 40ª edição do evento na cidade.

 

Pessoas assistem a desfile em Chicago, nos EUA

 

No México, milhares de pessoas tomaram no sábado o centro da capital do país na 32ª Parada do Orgulho Gay, que recordou o escritor Carlos Monsiváis, morto há uma semana.

 

Também no sábado, A Bulgária celebrou em Sofia a terceira parada desde a queda do comunismo há 20 anos. A marcha terminou sem incidentes, apesar de vários protestos e ameaças de ultranacionalistas e jovens radicais. O tema da manifestação foi "Ame a igualdade, abrace a diversidade", e reuniu mais de 700 pessoas, segundo os organizadores.

 

Homens fantasiados desfilam em carro alegórico em El Salvador

 

Na Rússia, país que não permite a Parada, a polícia prendeu ontem cinco ativistas homossexuais durante uma manifestação no museu Hermitage, de São Petersburgo. Cerca de 20 ativistas se reuniram no pátio repleto de turistas de um dos museus mais famosos do mundo para protestar contra a homofobia, que, segundo proclamaram em cartazes, "é a vergonha do país".

 

Pessoas desfilam na Parada de Nova York

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.