AFP PHOTO / Aaref WATAD
AFP PHOTO / Aaref WATAD

Mundo está menos pacífico do que uma década atrás, mostra índice global

Conflitos no Oriente Médio e na África colocam Síria, Afeganistão, Sudão do Sul, Iraque e Somália como os cinco países mais violentos do globo

O Estado de S.Paulo

06 Junho 2018 | 19h46

O índice de paz mundial piorou nos últimos dez anos devido à intensificação dos conflitos no Oriente Médio e no Norte da África. A Síria foi o país mais violento do mundo em 2017, seguida por Afeganistão, Sudão do Sul, Iraque e Somália. Essa é a quarta queda consecutiva registrada no nível de paz mundial segundo levantou o Índice Global da Paz, desenvolvido pelo Instituto da Economia e da Paz da Austrália. 

O Oriente Médio e o Norte da África (MENA) foi a região mais violenta do mundo, sobretudo pela guerra da Síria e o embate com o Estado Islâmico no Iraque. O relatório também destacou o “aumento da hostilidade na Península Arábica”, com “profunda animosidade” entre as nações e o conflito entre grupos sunitas e xiitas no Iêmen. 

+ Acusada de usar armas químicas, Síria assume presidência de Conferência de Desarmamento da ONU

Os embargos econômicos e diplomáticos impostos ao Catar por seus vizinhos Arábia Saudita, Emirados Árabes e Bahrein também contribuem para a deterioração da paz na região.

Apesar de a África Subsaariana não estar entre as três regiões mais violentas, dois de seus países encabeçam a lista dos menos pacíficos: Sudão do Sul, que vive confronto de facções militares desde 2013, e Somália, em guerra civil desde 1991 e sob ameaça do grupo terrorista Al Shabab.

Além dos impactos humanitários, a violência custou 12,4% do PIB mundial e somou US$ 14,76 trilhões. O estudo projeta que, se os países mais violentos atingissem o nível de crescimento econômico dos países pacíficos, a economia global teria um crescimento de US$ 13,87 trilhões. 

As despesas mais altas para os países são os gastos militares, de segurança interna e de encarceramento. Na Síria, 68% do PIB ficaram comprometidos com a guerra.

O desenvolvimento econômico dos países está diretamente ligado ao nível de violência: os Estados mais pacíficos são também os que apresentam PIB per capita mais alto. Já os países mais violentos, além de registrarem PIB per capita mais baixo, têm uma taxa de crescimento baixíssima, o que torna cada vez mais difícil elevar os padrões de vida de suas populações. / Com Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.