Mundo reza pela vítimas da tragédia americana

Milhões de pessoas reuniram-se nesta sexta-feira em silêncio em várias partes do mundo para expressar simpatia e amizade pelos Estados Unidos, num momento em que a nação conta as vítimas dos atentados terroristas em Nova York e Washington.Mais de 200.000 berlinenses lotaram o bulevar do Portão de Brandeburgo, em uma demonstração de solidariedade com o país que ajudou a reconstruir a Alemanha no pós-guerra e sustentou a cidade com seus aviões durante o bloqueio soviético."Ninguém sabe melhor que o povo de Berlim o quê a América fez pela liberdade e democracia na Alemanha", disse o presidente alemão, Johannes Rau. "Agora queremos dizer aos americanos: A América não está sozinha".O dia de luto pelas milhares de pessoas que morreram nos ataques suicidas contra o World Trade Center e o Pentágono começou na Ásia.Na Coréia do Sul, sirenes soaram por um minuto, enquanto crianças tomavam a frente da embaixada norte-americana em Seul. Algumas pessoas se ajoelharam em frente ao prédio e rezaram.No Irã, a antipatia pelos Estados Unidos foi colocada de lado quando cerca de 60.000 pessoas respeitaram um minuto de silêncio antes do início de um jogo de qualificação para a Copa do Mundo no estádio de Teerã.Na Europa, bolsas de valores, da Noruega à Áustria, pararam os negócios durante três minutos. Na Grã-Bretanha, pessoas ficaram em silêncio nas ruas e em shoppings. Na Catedral de São Paulo e arredores, milhares rezaram com a rainha Elizabeth II pelas vítimas da tragédia.Demonstrações de pesar e solidariedade foram realizadas em outras partes do mundo, de Havana a Bogotá, da Sérvia à Grécia, do Egito à África do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.