Murdoch aceita ir ao Parlamento britânico prestar explicações

Magnata volta atrás e diz que dará esclarecimento a deputados sobre escândalo dos grampos [br]do ''News of the World''

, O Estado de S.Paulo

15 de julho de 2011 | 00h00

LONDRES

O magnata Rupert Murdoch e seu filho James aceitaram ontem comparecer ao Parlamento britânico para responder a perguntas sobre escutas ilegais feitas pelo tabloide News of the World, que pertence ao grupo News Corp., comandado pela família. O anúncio foi feito pelo próprio conglomerado de Murdoch, que inicialmente havia recusado o convite dos parlamentares britânicos. A audiência está marcada para terça-feira.

A mudança de posição ocorreu após o primeiro-ministro David Cameron ter criticado a decisão inicial de Murdoch de não atender ao pedido dos parlamentares. Rebekah Brooks, ex-editora do News of the World na época dos grampo, também prometeu comparecer à audiência.

Murdoch não terá uma recepção amistosa no Parlamento. Ontem, o deputado trabalhista Dennis Skinner descreveu o magnata como sendo um "câncer no organismo político" do país. A indignação chegou a tal ponto que o Partido Trabalhista, maior grupo de oposição ao governo, adotou uma posição parecida com a do Partido Liberal Democrata, do vice-premiê Nick Clegg, condenando as escutas ilegais feitas pelos jornais de Murdoch.

"Eles não podem se esconder desse nível de angústia, revolta e interesse público", disse Clegg. "Quando alguém ocupa essa posição de poder, tem responsabilidade com os milhões que consomem os produtos de seus jornais e emissoras de TV."

Nona prisão. Ontem, o caso dos grampos fez mais uma vítima. Neil Wallis, de 60 anos, ex-diretor executivo do News of the World, foi preso em sua casa em Londres. Ele também é acusado de envolvimento no caso das escutas ilegais.

Segundo a polícia britânica, Wallis é a nona pessoa detida por causa do escândalo. Ele trabalhou no tabloide de 2003 a 2007 junto com o ex-diretor Andy Coulson, que já havia sido preso e solto na semana passada após pagamento de fiança. / AP

SOB A MIRA DA POLÍCIA

Glenn Mulcaire

Detetive particular foi preso em 2007

Ian Edmondson

Ex-editor-assistente foi detido em 5 de abril e libertado sob fiança

Neville Thurlbeck

Chefe de reportagem foi detido e libertado sob fiança na mesma operação de 5 de abril

James Weatherup

Editor-assistente foi preso em 14 de abril

Terenia Taras

Jornalista freelancer do jornal foi presa em 14 de junho. Saiu sob fiança

Laura Elston

Correspondente para assuntos da realeza da agência de notícias britânica Press Association,

foi liberada após interrogatório em 28 de junho

Clive Goodman

Ex-editor do jornal para assuntos da família real foi preso no dia 8

Andy Coulson

Ex-editor do jornal e ex-diretor de comunicação do premiê David Cameron foi preso no dia 8

Homem não identificado

Polícia deteve homem de 63 anos na operação do dia 8

Neil Wallis

Ex-editor executivo preso ontem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.