Murdoch desiste de comprar tv por assinatura no Reino Unido

Governo e oposição se declararam contra planos da News Corp de adquirir controle total da BskyB

BBC Brasil, BBC

13 de julho de 2011 | 11h06

Rupert Murdoch sofreu grande pressão do governo britânico para desistir de compra de tv a cabo      

 

 

 

A News Corporation, empresa holding do grupo comandado pelo magnata Rupert Murdoch, no centro do escândalo de obtenção ilegal de informações no Reino Unido, desistiu nesta quarta-feira, 13, de seguir com seus planos de adquirir a totalidade das ações da operadora de TV por assinatura BSkyB.

A decisão de retirar a proposta de aquisição da BskyB foi tomada depois da reação negativa de políticos, imprensa e populares às revelações de que um dos jornais de Murdoch, o tabloide dominical News of the World, fez escutas ilegais em telefones celulares de celebridades, políticos, membros da família real e de vítimas de crime e seus familiares.

"Acreditamos que a aquisição da BSkyB pela News Corporation beneficiaria ambas as empresas, mas é evidente que é muito difícil ir em frente neste clima", afirmou o comunicado assinado pelo executivo Chase Carey, da News Corporation.

"A News Corporation permanece um acionista de longo prazo da BSkyB. Nos orgulhamos do seu sucesso e de nossa contribuição para isto", disse a nota.

A News Corporation, que já detém 39% das ações da BSkyB, pretendia comprar os 61% restantes e criar um "gigante" da mídia, com uma receita que superaria a de todos os seus rivais na Grã-Bretanha, incluindo a BBC.

Os planos da empresa já eram criticados antes do escândalo surgido na semana passada. Murdoch passaria a deter 40% do mercado de mídia britânico, o que para muitos dava a ele um poder excessivo. Além dos 39% da BSkyB, o empresário, australiano de nascimento e com cidadania americana, também é dono do jornal de maior tiragem no país, o The Sun, além do tradicional The Times.

Os três principais partidos políticos da Grã-Bretanha disseram que apoiariam nesta quarta-feira uma moção que pediria para a News Corporation desistir da compra.

Investigação

Pouco antes do anúncio da empresa, o premiê britânico, David Cameron, disse que "o que aconteceu (com esta empresa) foi uma desgraça".

"Eles devem prestar contas em todos os níveis e deveriam parar de pensar sobre aquisições quando têm que consertar a bagunça que criaram."

"Nós devemos ser claros sobre o que está acontecendo aqui. Há um incêndio que atinge partes da mídia, da polícia e de fato da capacidade do nosso sistema político de reagir."

"O que precisamos fazer nos próximos dias e semanas é pensar, acima de tudo, nas vítimas... e nos certificarmos de que vamos chegar ao fundo e processar os culpados."

Cameron deu detalhes de como deve ocorrer o inquérito independente sobre as denúncias de obtenção ilegal de informações por parte de jornais da News Corporation.

Donos de jornais, jornalistas, policiais e políticos podem ser chamados para prestar esclarecimentos perante a comissão que investiga as denúncias. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.