Musharraf assume novo mandato no Paquistão

Em uma cerimônia transmitida pela televisão, o presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, tomou posse para um novo mandato na presidência do País, por mais cinco anos. O general Musharraf seguirá sendo também o chefe do Estado Maior do Exército. A cerimônia de posse seguiu-se a um referendum realizado este ano.Musharraf tornou-se presidente do País em 1999, quando liderou um golpe de Estado que derrubou o governo civil então no poder. Pouco mais de uma hora após a posse do presidente, o novo Parlamento do País também pronunciou o juramento e assumiu suas funções, pondo fim a três anos de um regime de exceção e colocando o Paquistão de volta a seu vacilante caminho na direção da democracia. As eleições gerais do mês de outubro delinearam um Congresso no qual nenhum partido tem maioria. Os deputados eleitos agoram negociam sua participação no novo governo, que ainda não foi formado. Uma votação sobre o delicado assunto será realizada na próxima terça-feira, o que dá aos políticos mais alguns dias para tentar formar uma coalizão. O grupo Qaid-e-Azam, que apóia Musharraf e seus aliados, a Liga Muçulmana do Paquistão, controla a maior parte dos 342 assentos do Parlamento. Controla 103 cadeiras. Logo após, vem o Partido do Povo do Paquistão, comandado pela antiga primeira-ministrada, deposta e auto-exilada, Benazir Bhuto, que detém 80 lugares. Uma aliança de partidos religiosos controla 59 postos, enquanto que grupos minoritários e independentes controlam os 100 lugares restantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.