Musharraf não cumprirá ordem de prisão, diz porta-voz

O ex-presidente paquistanês, Pervez Musharraf, não cumprirá mandado de prisão expedido por um tribunal antiterrorismo relacionado ao assassinato da ex-primeira-ministra do país, Benazir Bhutto, informou o porta-voz do partido Liga Muçulmana do Paquistão, Fawad Chaudhry, que considera a ordem de detenção "totalmente ridícula."

AE, Agência Estado

12 de fevereiro de 2011 | 10h02

Na manhã de hoje, uma corte judicial antiterrorismo do país ordenou que Musharraf, atualmente exilado em Londres, compareça para uma audiência em 19 de fevereiro acerca do assassinato de Benazir Bhutto em 2007.

Segundo o promotor de Justiça, Chaudhry Zulfiqar Ali, "uma equipe de investigação conjunta informou em seu relatório que Musharraf teve envolvimento no caso e foi igualmente responsável." "O relatório disse ter sido uma ampla conspiração envolvendo o ex-presidente, duas autoridades policiais e terroristas", completou Ali, após uma audiência a portas fechadas.

Perguntado sobre o que aconteceria se o ex-presidente paquistanês não comparecesse no dia marcado, o promotor afirmou: "Veremos quando chegar o momento." As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoPervez Musharrafterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.