Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Musharraf promete eleição sem intervenções no Paquistão

Human Rights Watch afirma que pleito justo no país é 'impossível' após repressão aos movimentos da oposição

Efe,

20 de dezembro de 2007 | 07h43

O presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, insistiu nesta quinta-feira, 20, que as eleições legislativas de 8 de janeiro serão livres e justas, prometendo que os serviços de inteligência se manterão à margem do processo. "Pela primeira vez na história do país, desenvolvemos um sistema eficiente para que as eleições sejam limpas e transparentes", disse Musharraf, num discurso transmitido pelo canal de televisão Geo TV. O governo vai divulgar num site os resultados da apuração à medida que forem enviados pelas zonas eleitorais. A organização Human Rights Watch avaliou que eleições livres e justas no Paquistão são "impossíveis" após o desmantelamento de uma Justiça independente e a repressão ao movimento dos advogados. Musharraf presidiu nesta quinta a cerimônia anual do comitê de Assuntos Públicos entre Paquistão e EUA. Ele aproveitou para dizer que se sente mais forte que antes, agora que é presidente civil, após abandonar o comando do Exército. O presidente disse que, havendo harmonia entre o presidente, o primeiro-ministro e o chefe do Exército, o Paquistão poderá progredir sem obstáculos e em grandes saltos.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoPervez Musharraf

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.