Musharraf recebe relatório sobre atentado contra Bhutto

Ataque tinha como alvo a ex-premiê, que só sobreviveu porque estava em um veículo blindado, diz Inteligência

Efe,

22 de outubro de 2007 | 11h36

O presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, recebeu nesta segunda-feira, 22, um relatório preliminar com dados dos serviços de inteligência sobre o atentado que deixou 140 mortos na quinta-feira, informou o canal de televisão Geo TV, que revelou que houve "várias detenções". Musharraf tinha pedido que as agências de segurança elaborassem em um prazo de 48 horas um relatório sobre o atentado. A maior parte das vítimas eram pessoas que tinham saído às ruas para saudar a ex-primeira-ministra Benazir Bhutto, que retornou ao Paquistão após quase 9 anos de exílio. O relatório inicial, preparado por sete agências, sugere que o autor do ataque tinha como alvo a própria Bhutto, mas esta sobreviveu porque viajava em um veículo blindado e tinha ido para o interior da cabine a fim de descansar. Além disso, segundo a Geo TV, os dados confirmam que uma das duas explosões foi devido a um ataque suicida, mas não existem provas sobre a outra. O documento indica a que o atacante tinha lançado uma granada de mão e depois se suicidou detonando uma carga explosiva.  Além disso, o relatório sugere que o ataque poderia estar ligado ao atentado sofrido no final de abril em Charsadda (noroeste do Paquistão) pelo ministro do Interior paquistanês, Aftab Ahmed Khan Sherpao, que causou a morte de 31 pessoas. Bhuto pediu neste domingo que o governo que aceite a ajuda internacional para o bom andamento da investigação sobre o atentado da quinta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
MusharrafBhuttoatentadoPaquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.