Musharraf rejeita ação antiterror dos EUA no Paquistão

O presidente do Paquistão, PervezMusharraf, disse nesta sexta-feira que suas forças sãototalmente capazes de lidar com militantes da Al Qaeda erejeitou a possibilidade de ação de tropas antiterrorismo dosEstados Unidos em solo paquistanês. As declarações de Musharraf aparecem depois de uma série decomentários de oficiais norte-americanas sugerindo que asforças do país mantém aberta a possibilidade de ataque contraalvos do Taliban e da Al Qaeda em território paquistanês. "Está muito claro que aqui em território paquistanêssomente tropas paquistanesas vão operar. Ninguém deve terdúvidas quanto a isso", disse o presidente a repórteres antesde partir para uma visita à Arábia Saudita e aos EmiradosÁrabes Unidos. "Este é o acordo (com os EUA) e somos capazes de nosdefender em nossa área. Não precisamos de nenhuma outra forçapara nos ajudar." Há uma crescente preocupação em Washington de que a AlQaeda tenha se estabelecido em áreas tribais do Paquistão, nafronteira com o Afeganistão. Musharraf é um aliado importante da guerra contra oterrorismo liderada pelos EUA, mas autoridades do governo elegisladores dizem que ele deveria atuar mais. Na quinta-feira, fontes do Congresso dos EUA disseram quenegociadores concordaram com uma proposta que condicionaria aajuda norte-americana ao Paquistão a progressos significativosna luta de Islamabad contra a Al Qaeda. O acordo ainda precisa ser aprovado pelo Senado e pelaCâmara dos EUA. Na semana passada, o governo Bush liberou trechos nãoconfidenciais de um relatório de inteligência concluindo que osEUA enfrentam uma crescente ameaça da Al Qaeda em parte devidoao abrigo do grupo no Paquistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.