Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Música e foto no Twitter marcam início da festa de Obama

Cerca de 18 mil democratas comemoraram resultado eleitoral em Chicago ao som de 'Twist and Shout' e Aretha Franklin

BBC

07 de novembro de 2012 | 03h15

CHICAGO - O primeiro presidente negro dos Estados Unidos voltou a fazer história na madrugada desta quarta-feira, 7, ao ser reeleito para um novo mandato de quatro anos à frente da nação mais influente do mundo. Ao som de "Twist and Shout", uma estrondosa platéia de cerca de 18 mil espectadores reunidos no centro de convenções McCormick Place, em Chicago, gritou, se sacudiu e aplaudiu às 22h20 do horário local (2h20 de Brasília).

Aquele foi o momento em que os organizadores da festa democrata colocaram no telão as projeções da CNN segundo as quiais que Barack Obama seria reeleito. Pouco depois, o twitter do presidente foi atualizado com a simples mensagem: "Quatro anos mais. Isto aconteceu por causa de vocês. Obrigado".

A celebração que continuou de imediato com a canção "Respect", na voz de Aretha Franklin, e outros clássicos da música negra americana. Pouco antes, Obama era projetado como o vencedor das eleições no Estado de Ohio, considerado o mais importante e decisivo nas eleições. A vitória foi anunciada quando ele alcançou 275 no sistema de colégio eleitoral americano.

A atmosfera no centro de convenções escolhido para a festa democrata foi ficando incontrolável cedo, à medida em que as redes de TV lançavam suas projeções. Um dos primeiros "prêmios" da apuração veio quando Obama levou o Estado de New Hampshire que, apesar de ter apenas quatro votos no colégio eleitoral, é um dos chamados "Estados-pêndulo", que não demonstram inclinação fixa por republicanos ou democratas em eleições.

A segunda recompensa veio do Estado da Pensilvânia, cujos 20 votos Obama também venceu com facilidade. Mitt Romney tentou cortejar os eleitores do Estado com uma visita relâmpago no próprio dia das eleições.

Depois, veio o anúncio de que os democratas levaram o Estado de Winsconsin, de onde os republicanos trouxeram o seu candidato a vice-presidente, Paul Ryan. Com a derrota em Winsconsin, as chances de Romney vencer a disputa ficaram seriamente limitadas - em todos os cenários ele precisava levar a Flórida.

Por volta das 22h locais (2h da manhã no Brasil), a multidão no centro de convenções McCormick Place comemorou fortemente o fechamento das urnas na Califórnia, com a mais que esperada projeção de vitória do candidato democrata.

Colégio eleitoral

As eleições nos EUA são definidas por um Colégio Eleitoral, no qual a cada Estado é atribuído um peso segundo a sua população. O candidato vencedor em cada Estado leva todos os votos correspondentes aos seus representantes no colégio eleitoral. Para ser presidente, um candidato tem de alcançar pelo menos 270 votos.

Obama já havia votado antecipadamente e passou o dia aqui em Chicago. Ele teve uma agenda relaxada - jogou basquete com uma equipe de estrelas e recebeu aplausos e gerou choro ao passar em um comitê de campanha no bairro onde vivia, em Hyde Park, para agradecer os voluntários e atender a ligações de eleitores.

Entretanto, analistas apontam que uma vitória apertada, ou eventualmente não acompanhada do voto popular, deve fazer os republicanos questionarem a legitimidade do segundo mandato democrata. A falta de um apoio claro ao presidente também dificultaria a tomada de medidas para enfrentar problemas imediatos.

Entre eles estão o abismo fiscal e a aplicação automática de cortes de gastos e aumento de impostos. Isso poderia acontecer já a partir de janeiro do ano que vem, se as duas partes no Congresso não chegarem a um acordo para "aplainar" o problema.

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.