Myanmar liberta americano que encontrou oposicionista

O norte-americano John Yettaw, que estava preso em Myanmar por entrar na casa da líder oposicionista Aung San Suu Kyi, foi libertado neste domingo. Ele deixou o país nesta manhã acompanhado do senador Jim Webb, da Virgínia, que conseguiu negociar a liberdade de Yettaw. Ele havia sido condenado, na semana passada, a sete anos de prisão por violar a prisão de Suu Kyi, por violar as regras de imigração e ainda nadar em zona restrita. Ele atravessou um lago que dá acesso à casa Suu Kyi onde ficou por dois dias, em maio deste ano.

AE-AP, Agencia Estado

16 de agosto de 2009 | 09h43

Esta é a primeira visita de um membro do congresso norte-americano em mais de uma década. Pálido e cansado, Yettaw entrou no avião sorrindo e utilizando linguagem de sinais disse "Eu amo vocês" aos repórteres que o esperavam, mas não respondeu a nenhuma das perguntas feitas. O senador Webb ainda teve a rara permissão do governo de Myanmar de visitar a Suu Kyi, líder que luta pela democracia no país e permanece presa em sua residência.

Ontem Webb reuniu-se com o chefe da junta de governo, o general Than Shwe, chefe da junta militar de Myanmar. Outro encontro raro com um representante dos Estados Unidos. O senador norte-americano também pediu aos militares a liberdade de Suu Kyi, que nos últimos 20 anos ficou presa por 14 anos. "Tenho esperança que as relações entre Estados Unidos e Myanmar irão se desenvolver e que o governo irá considerar seriamente nosso pedido", disse Webb aos repórteres antes de partir do país.

Tudo o que sabemos sobre:
MyanmarlibertaçãoSuu Kyi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.