Na Colômbia, grupo armado sequestra governador

Supostos rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) sequestraram o governador do departamento (Estado) de Caquetá, no sul do país, informou a mídia local. Luis Francisco Cuéllar foi capturado ontem após um ataque contra a casa dele, informou a rádio Caracol, citando funcionários locais.

AE, Agencia Estado

22 de dezembro de 2009 | 08h54

Uma granada foi lançada na residência do governador em Florencia, a capital estadual de Caquetá. Após uma troca de tiros com seguranças, os rebeldes dominaram Cuéllar e fugiram. O paradeiro dele não é conhecido, segundo a rádio. O chefe nacional de polícia, general Oscar Naranjo, deve chegar à região para comandar a operação de busca.

As Farc foram fundadas em 1964 e atualmente mantêm pelo menos 22 policiais e soldados reféns. Os rebeldes querem trocar esses agentes de segurança por membros do grupo que estão presos. Segundo algumas fontes, porém, há vários outros reféns em poder das Farc na Colômbia. O grupo pelos direitos humanos País Libre afirmou que a agência antissequestro da Colômbia reconheceu que há 1.500 pessoas desaparecidas no país, sob as quais há pouca informação.

O presidente Álvaro Uribe rejeita uma negociação política com as Farc. Estima-se que haja 7 mil rebeldes da organização atuando no momento. No ano passado, alguns dos mais importantes reféns das Farc foram resgatados do cativeiro na selva, incluindo a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt e três norte-americanos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiasequestroFarcgovernador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.