Na conservadora Santiago, uma novidade: cafés com biquíni

Embora Santiago seja conhecida como uma das cidades mais conservadoras da América Latina - onde o aborto é sempre ilegal e o divórcio continua sendo uma questão espinhosa -, um lapso em sua rígida moral permitiu o aparecimento na capital chilena de cafés tentadoramente similares aos bares nudistas. Por trás de vidros fumê e com pouca iluminação, mulheres jovens usando biquínis servem xícaras de café expresso aos clientes que, em sua maioria, são homens mais velhos do que elas. Há na capital cerca de 100 estabelecimentos desse tipo - conhecidos como ?cafés con piernas?- , e alguns até acham que o gênero se transformou em marca registrada da cidade. Vanessa Valdez, de 20 anos, é uma das muitas garçonetes que atendem os clientes equilibrando-se em saltos altos e seu duas-peças mínimo. Saúda a chegada de um deles, aparentemente jovem como ela, dirigindo-se a ele e beijando-o no rosto. Volta trazendo uma pequena xícara fumegante, na qual coloca uma colher de açúcar e dirige ao recém-chegado um olhar igualmente doce. Para o contador Zamora, de 34 anos, cenas como essa ?não são um escândalo; trata-se apenas do corpo de uma mulher?.Nos ?cafés con piernas? não há assentos, apenas um balcão estreito que separa os homens das mulheres. Elas trabalham em pé sobre uma plataforma que fica cerca de 30 cm acima do plano em que ficam os clientes, o que as coloca mais visíveis aos olhos dos que se encontram do outro lado do balcão. Valdez afirma que, acima de tudo, para realizar esse tipo de trabalho uma mulher precisa ter a postura adequada: ?É preciso dominar os homens; caso contrário, eles a dominarão?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.