Na Etiópia, 4,5 milhões precisam de ajuda alimentar

Situação na Somália, país vizinho, é classificada pela ONU como o 'pior desastre humanitário' em andamento

AE, Agência Estado

11 de julho de 2011 | 16h12

Garoto descansa em campo de refugiados perto de Dolo Ado, na Etiópia 

 

ADIS-ABEBA - Cerca de 4,5 milhões de pessoas precisam de ajuda alimentar imediata na Etiópia, afirmou nesta segunda-feira, 11, o ministro etíope da Agricultura, Mitiku Kassa. De acordo com ele, seriam necessários quase US$ 400 milhões em ajuda apenas para atenuar o problema em seu país.

 

No entanto, segundo o diretor da missão de ajuda do governo norte-americano na Etiópia, Jason Frasier, os Estados Unidos estão preocupados com a possibilidade de a gravidade da seca estar sendo subestimada.

 

O atual período de seca na Etiópia, no Quênia e na Somália - região conhecida como "Chifre" da África - levou dezenas de milhares de pessoas a procurarem campos de refugiados em busca de comida.

 

O Programa Mundial de Alimentação calcula que cerca de 10 milhões de pessoas na região necessitam de ajuda alimentar imediata. Ontem, o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) qualificou a situação na Somália como "o pior desastre humanitário" em andamento no mundo.

 

As informações são da Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
Etiópiafomeajuda alimentarÁfrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.