Pietra Diwan / Arquivo Pessoal
Pietra Diwan / Arquivo Pessoal

Na Flórida, brasileira diz estar esperando 'monstra' chegar

Historiadora foi para abrigo com marido e filha de 10 anos com temores de que a casa da família não resista aos ventos do Irma

Paula Felix e Giovana Girardi, O Estado de S.Paulo

08 Setembro 2017 | 17h28

Moradora de Doral, na Flórida, a historiadora Pietra Diwan, de 42 anos, resolveu sair de casa e foi com o marido e a filha de 10 anos para um abrigo temendo o poder de destruição do furacão Irma. As notícias sobre o fenômeno estão se intensificando desde o dia 1º e e ela decidiu buscar alternativas para se proteger.

"A gente se antecipou e comprou suprimentos. Água, comida que pode ser preparada em caso de falta de eletricidade, (kit de) primeiros-socorros, pilha e lanterna. Na quarta-feira, fui ao trabalho e estava tudo normal. À tarde, fui liberada, já fecharam as escolas e muita gente começou a sair da cidade. Ficamos com medo de sair, porque o trajeto do furacão é muito incerto."

Amigos dela foram para Orlando, mas ela decidiu ficar na cidade após ler o código de construções, que informava que as residências tinham de aguentar ventos de até 160 milhas por hora (cerca de 260 km/h). Nesta sexta-feira, a família decidiu ir para um abrigo.

"Saímos da nossa casa, porque não vamos esperar para ver se ela aguenta. Viemos para uma escola de 2º grau com apoio do Exército e da prefeitura local. Estamos em um lugar amplo e em torno de 600 pessoas estão aqui. O local tem capacidade para 1 mil pessoas. (Estamos) Esperando essa 'monstra' chegar."

Água, comida, documentos, três mantas, uma mochila e o bicho de pelúcia da filha foi o que a historiadora e a família puderam levar. "Trouxemos o que cada um pode carregar em uma viagem." 

Pietra, que mora nos Estados Unidos há dez anos, está em contato constante com a família em São Paulo. "Vamos manter contato enquanto a gente tiver sinal e bateria (no celular)." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.